Home Propostas Internacionalização

Internacionalização

por Construir Juntos

Um círculo virtuoso se estabelece na academia quando os melhores alunos, os melhores pesquisadores e os melhores professores desejam estudar, pesquisar ou trabalhar/ministrar aulas ou orientar alunos em determinadas universidades. Essas universidades, por sua vez, acabam melhorando seu ensino, sua pesquisa e extensão, realimentando o círculo virtuoso. Os rankings internacionais de avaliação das instituições consideram entrevistas com acadêmicos e empregadores, o impacto de pesquisas desenvolvidas pelas universidades analisadas e o número de estudantes e professores internacionais, dentre alguns outros fatores.  O impacto das pesquisas é avaliado com base em citações em publicações acadêmicas e o índice h. É interessante notar que o número de estudantes e professores internacionais faz parte do cálculo de classificação das instituições. Um pressuposto para isso é o aumento do intercâmbio de ideias. Geralmente, visões e abordagens diferentes para um problema podem resultar em melhores soluções. Assim, intensificar ações que envolvam o intercâmbio de estudantes e professores deve ser uma das ações que aumentem tanto a troca de ideias como os índices dos rankings. E para facilitar a recepção de professores e alunos é preciso diminuir barreiras como a língua. Incentivar o afastamento de docentes para realizar pós-doutorados no exterior pode não só gerar novas oportunidades de pesquisa como pode melhorar a fluência desses docentes em outros idiomas e contribuir para a diminuição da barreira do idioma e aumentar o conhecimento e respeito por novas culturas.

Principais Avanços

  • Aumento das publicações indexadas no ISI-WEB of Science nos últimos 4 anos (1.696 em 2016 x 1.764 em 2019);
  • Aumento da produção científica indexada reportada na Plataforma Lattes (3.350 em 2016 x 4.389 em 2019);
  • Aumento da quantidade de acordos de cooperação (foram 31 em 2016 x 43 em 2019);
  • Apoio institucional para afastamentos de docentes para pós-doutoramento (foram 38 afastamentos em 2016 x 69 em 2019);
  • Fortalecimento do Programa Institucional de Pos-doutorado/UFSCar (foram 80 em 2016 x 126 em 2019 com pico de 156 em 2017);
  • Elaboração de editais específicos para mobilidade acadêmica internacional no nível da graduação;
  • Lançamento de novo Portal da Secretaria de Relações Internacionais, www.srinter.ufscar.br, em três idiomas, com foco tanto na comunidade interna da UFSCar, como no público internacional;
  • Desenvolvimento de novos procedimentos para promover a mobilidade acadêmica internacional no nível da graduação, principalmente referente a divulgação das oportunidades de mobilidade no âmbito dos acordos de cooperação, através de mídias sociais e Rodas de Conversa;
  • Promoção da UFSCar junto as universidades parceiras, tendo como resultado aumento no número de alunos internacionais na UFSCar;
  • Priorização à celebração de acordos específicos de cooperação internacional para o desenvolvimento conjunto de projetos de pesquisa, visando à internacionalização da pesquisa e pós-graduação na UFSCar, com reflexos positivos sobre a avaliação dos programas de pós-graduação da Universidade efetuada pela CAPES;
  • Incentivo à formalização de cooperações internacionais em andamento, tanto no nível da pós-graduação, por meio da celebração de acordos de cotutela de teses de doutorado, como no nível da graduação, mediante acordos de dupla diplomação.
  • Acolhimento a estudantes internacionais de graduação, bem como em parceria com o Instituto de Línguas e Pró-reitoria de Pós-graduação;
  • Participação em projetos internacionais organizados por redes de universidades no âmbito do Programa Erasmus+ Capacity Building (programa da Comissão Europeia para a educação), colaborando para a elaboração de um Guia de Melhores Práticas voltadas à Internacionalização na América Latina (https://www.caminosproject.org/);
  • Organização e sede de eventos internacionais envolvendo associações e redes de universidades, destacando-se as XXVII Jornadas de Jovens Pesquisadores da Associação de Universidades Grupo Montevidéu (https://jornadasaugm.faiufscar.com/), com cerca de 1000 participantes de 34 universidades de 6 países da América Latina;
  • Apoio a docentes na elaboração de propostas de projetos com redes de universidades estrangeiras, tendo como fonte de financiamento agências de fomento internacionais;
  • Ampliação do atendimento (inclusão do visto Temporário I) à comunidade internacional na UFSCar a respeito de procedimentos para renovação de vistos consulares;
  • Fomento, através do PDU Internacionalização, ao oferecimento de cursos de línguas inglesa e espanhola junto ao Instituto de Línguas e o Nucli/ISF, respectivamente.
  • Otimização do atendimento a delegações estrangeiras, mediante a organização de reuniões com a participação de públicos específicos conforme a(s) área(s) de interesse, potencializando assim a celebração de acordos de dupla diplomação nos níveis da graduação e da pós-graduação – neste caso, inclusive no âmbito do programa CAPES-PrInt;
  • Ampliação da participação em programas de mobilidade acadêmica internacional na América Latina no âmbito do Programa ESCALA da AUGM.
  • Criação e implantação do Espaço Internacional nas dependências da BCo. O Espaço Internacional é resultado de projeto piloto no âmbito do Projeto CAMINOS (Enhancing and Promoting Latin America Mobility – Melhorar e Promover a Mobilidade na América Latina).
  • Incentivo à internacionalização através do PRInt.

Principais Propostas

  • Implantar políticas de priorização para pedidos de afastamentos para pós-doutorado no exterior;
  • Ampliar a interação global, os saberes e a diversidade cultural na UFSCar e criar a Coordenadoria de Internacionalização da ProPG;
  • Melhorar os procedimentos de acolhimento dos estudantes e pesquisadores estrangeiros;
  • Estimular a oferta de disciplinas no idioma inglês;
  • Criar uma plataforma para submissão de candidaturas a editais de mobilidade acadêmica internacional incoming e outgoing através do Portal da Secretaria de Relações Internacionais (SRInter);
  • Intensificar o uso de ferramentas como o software VantagePoint, para prospectar potenciais novas parcerias internacionais em pesquisa, oportunizando a formalização de cooperações acadêmico-científicas;
  • Aprimorar os instrumentos jurídicos de acordos de cooperação internacional, visando aplicação de lei estrangeira, competência de autoridade judiciária estrangeira, possibilidade de assinatura exclusivamente eletrônica/digital, entre outras questões;
  • Criar no SEI um tipo de processo relativo especificamente a acordos de cooperação internacional, para ampliar o conhecimento da comunidade UFSCar acerca de tais instrumentos, bem como reduzir o tempo para sua celebração;
  • Promover ações para a implementação da Rede ANDIFES Nacional – Idiomas sem Fronteiras na UFSCar;
  • Oferecer atendimento em período integral no Espaço Internacional, promovendo maior número de atividades voltadas ao acolhimento de estudantes, docentes e pesquisadores estrangeiros na UFSCar fazendo do local um ponto de referência em assuntos sobre a internacionalização da Universidade.
  • Aumentar o número de bolsas para mobilidade acadêmica internacional no nível da graduação em programas específicos já existentes.
  • Discutir com a comunidade sobre internacionalização dos currículos de graduação e estímulo a projetos de mobilidade virtual visando promover uma maior inclusão dos estudantes;
  • Fomentar a internacionalização com parceiros da América Latina, principalmente em relação às universidades membro da AUGM (Associação de Universidades Grupo Montevidéu), para fortalecer a construção do Espaço Latino-Americano e Caribenho de Educação Superior (ENLACES).
Abrangência Ranking

2016

2017

2018

2019

Mundo Webometrics Ranking of World Universities

753

919

839

839

QS World University Rankings

651-700

651-700

701-750

801-1000

CWTS Leiden Ranking*

633

632

644

634

América Latina Webometrics Ranking of World Universities

26

33

31

26

QS World University Rankings

29

29

34

84

CWTS Leiden Ranking

15

15

15

15

Brasil Ranking Universitário Folha

11

10

11

12

Webometrics Ranking of World Universities

16

19

18

18

QS World University Rankings

11

10

10

15

CWTS Leiden Ranking

11

11

11

11

Indicador “Pesquisa” Brasil Ranking Universitário Folha

8

11

9

9

Indicador “Excellence” Brasil Webometrics Ranking of World Universities

14

884

873

851

PP(top 10%)**

Brasil

CWTS Leiden Ranking

8

4

1

2

Posição da UFSCar nos rankings de universidades (2016-2019)

Visão de Futuro

Que a UFSCar se transforme em médio prazo em um polo de convergência de estudantes e pesquisadores internacionais na América do Sul e reforçando sua presença no espaço mundial do Ensino Superior e da pesquisa.

Leia também