Home Propostas Pesquisa – avançando o conhecimento

Pesquisa – avançando o conhecimento

por Construir Juntos

Entender o universo, o mundo e todos os fenômenos observáveis faz parte do ser humano. E esse ato de observar, compreender, explicar e teorizar é muitas vezes um processo complexo que exige habilidades especiais. Todo esse processo investigativo acaba se tornando uma forma de produzir conhecimento tentando desvendar os mistérios dos fenômenos/problemas que surgem da observação ou como resultados teóricos de outras investigações. Sem a pesquisa, a universidade seria apenas um local de replicação do conhecimento. É preciso investir e fortalecer a pesquisa para avançar as fronteiras do conhecimento. A UFSCar se destaca nacional e internacionalmente no quesito pesquisa, estando entre as melhores instituições de ensino e pesquisa do país. Segundo o ranking Folha (https://ruf.folha.uol.com.br/2019/ranking-de-universidades/principal/), a UFSCar ocupava, em 2019, a 9ª posição nacional no quesito pesquisa, no indicador ”PP (top 10%)” no CWTS Leiden Ranking 2019 ocupava a 2ª. posição entre as universidades brasileiras e considerando o indicador “P” do CWTS Leiden Ranking 2019 na América Latina, ocupava a 15ª. posição.  Isso é o reflexo de um corpo de pesquisadores engajado e atuante, que também conquistou três INCTs (Institutos Nacionais de Ciências e Tecnologias), quatro CEPIDs (Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão), 229 bolsas de Produtividade do CNPq (18,5% de seus docentes) e possui 406 grupos de pesquisa certificados no Diretório do CNPq. Alguns avanços significativos foram feitos nos últimos anos, mas ainda existem vários desafios a serem superados para que a UFSCar esteja entre as 3 melhores do país.

Principais Avanços

  • Aumento significativo na captação de recursos financeiros junto a agências de fomento nos últimos 4 anos (R$ 2,89 milhões em 2016 x R$ 10,66 milhões em 2019);
  • Aumento significativo do número de projetos financiados pelo CNPq e pela FAPESP nos últimos 4 anos (65 projetos em 2016 x 182 projetos em 2019);
  • Aumento das publicações indexadas no ISI-WEB of Science nos últimos 4 anos (1.696 em 2016 x 1.764 em 2019);
  • Aumento da produção científica indexada reportada na Plataforma Lattes (3.350 em 2016 x 4.389 em 2019);
  • Aumento da quantidade de acordos de cooperação (foram 31 em 2016 x 43 em 2019);
  • Apoio institucional para afastamentos de docentes para pós-doutoramento (foram 38 afastamentos em 2016 x 69 em 2019);
  • Fortalecimento do Programa Institucional de Pos-doutorado/UFSCar (foram 80 em 2016 x 126 em 2019 com pico de 156 em 2017);
  • Aumento consistente de professores visitantes e professores sêniores atuando em pesquisas na UFSCar (5 professores visitantes em 2016 x 9 professores visitantes em 2019; 65 professores sêniores em 2016 x 92 em 2019);
  • Captação, nos últimos anos, de 795 bolsas de iniciação científica;
  • Desenvolvimento de 334 projetos de iniciação científica sem bolsa nos últimos anos;
  • Adaptação de uma plataforma aberta para o controle de solicitação de bolsas e emissão de pareceres que trouxe grande economia de recursos financeiros e evitou a contratação de programas comerciais.

 Principais Propostas

  • Manter o crescimento de todos os índices;
  • Regulamentar institucionalmente os projetos de pesquisa para que possam ser apoiados pela FAI e possam receber financiamentos de empresas e do exterior;
  • Aprimorar, em conjunto com a SPDI e a SIBI, a captação dos dados internos solicitados pelos institutos que realizam os rankings e, assim, poder fornecer informações mais precisas que podem refletir em melhor colocação da UFSCar nos rankings;
  • Ampliar a comunicação com pesquisadores da UFSCar de forma a estimular a participação deles em novos editais de pesquisa de Agências de Fomento; e
  • Aumentar o envolvimento de pesquisadores em projetos PIPE/FAPESP.


Fonte: ProPq – 2019

Projetos Analisados pelo CEP-UFSCar entre 2010 e 2019

Visão de Futuro

Engajar 100% dos docentes da UFSCar em pesquisas, para que a UFSCar esteja nas primeiras posições dos rankings de avaliações de instituições de pesquisa.

Leia também